Sobe para 21 o número de mortos em explosão de gás na Rússia

De acordo com balanço, outras 20 pessoas seguem desaparecidas

GERAL HO / Russian Emergency Situations Ministry / AFP / CP Memória Sobe para 21 o número de mortos em explosão de gás na Rússia

Correio do Povo
02/01/2019 15:05 atualizado em 02/01/2019 16:07

Pelo menos 21 pessoas morreram na explosão de gás que destruiu na segunda-feira um edifício em Magnitogorsk, nos Urais - anunciou nessa quarta o Ministério russo das Situações de Emergência. De acordo com um balanço divulgado às 14h30min (9h30min de Brasília), os corpos sem vida de 21 pessoas, incluindo duas crianças, foram encontrados no prédio, que desabou parcialmente. Seis pessoas, entre elas duas crianças, foram resgatadas, enquanto outras 20 seguem desaparecidas.

"O trabalho de resgate continua", acrescentou o Ministério, indicando que os escombros em uma área de 800 m2 foram retirados do local nas últimas 24 horas. Uma parte desse edifício de nove andares desabou na explosão ocorrida na segunda-feira em Magnitogorsk, uma cidade industrial da região de Tcheliabinsk, cerca de 1,7 mil quilômetros ao leste de Moscou, nos Montes Urais. Quase 1,1 mil pessoas moravam nesse imóvel construído em 1973, na época soviética.

Na terça-feira, os socorristas encontraram um bebê com vida, sob os escombros. Autoridades da saúde informaram que seu estado é grave, mas estável. Flores e velas eram deixadas perto do local da explosão em homenagem às vítimas, enquanto o governador da região declarou um dia de luto nesta quarta-feira. "Estamos todos de luto", disse um homem à emissora Rossiya 24. "Quase todo mundo na cidade conhecia alguém" afetado pelo acidente, ressaltou.

O Comitê de Investigação russo, órgão responsável pelas principais investigações no país, anunciou na noite de terça-feira que nenhum vestígio de explosivos, ou de seus componentes, foi encontrado nos escombros já retirados. Boatos que circulavam por alguns meios de comunicação apontavam para a possibilidade de a explosão de gás ter sido provocada deliberadamente.

Esses rumores ganharam peso após outra explosão na terça-feira à noite em um micro-ônibus, também em Magnitogorsk, que matou três pessoas, segundo autoridades locais. As autoridades não estabeleceram uma conexão entre os dois incidentes.

Na segunda-feira, logo após a explosão, o presidente russo, Vladimir Putin, foi ao local do incidente. Uma investigação foi aberta, mas os serviços de segurança russos (FSB) confirmaram que uma explosão de gás foi a causa da tragédia.

As explosões de gás são relativamente comuns na Rússia, já que a maioria das infraestruturas remonta aos tempos soviéticos, e as normas de segurança são frequentemente ignoradas. Localizada em uma região com um subsolo rico em minerais, a cidade de Magnitogorsk, que possui 400 mil habitantes, abriga uma das maiores usinas siderúrgicas da Rússia.

Instagram @correioma