Sistema para acabar com as filas em Unidades Básicas é implantado

Objetivo é facilitar a marcação de exames e consultas em todos os 19 distritos da cidade

IMPERATRIZ Patrícia Araújo Sistema para acabar com as filas em Unidades Básicas é implantado

Assessoria/PMI
09/08/2019 14:13

A Secretaria Municipal de Saúde-Semus, por meio do Projeto Gestão Itinerante A Gente Faz, da Atenção Básica de Saúde, realizou um estudo para a descentralização dos serviços oferecidos à população, modernizando o sistema que regula o gerenciamento de filas nas Unidades Básicas de Saúde-UBSs. Objetivo é organizar e dinamizar a marcação de consultas e exames especializados em todos os 19 distritos do município. 

Com o novo fluxo de atendimento possibilitará a marcação de consultas diárias por meio de pré-agendamentos. A coordenadora de Atenção Básica, Sormane Branco, esclarece que “atendemos uma demanda enorme, dobro da população de Imperatriz, pessoas que vêm de outras cidades. A auditoria irá gerenciar os agendamentos, não será mais necessário filas nas unidades”, explica. 

Das medidas adotadas pela equipe da auditoria da Semus, está a triagem do atendimento dos serviços que tem o foco de regularizar o número de cartão do SUS em Imperatriz. Atualmente a quantidade de usuários do sistema de saúde é bem maior do que o próprio número de habitantes divulgado pelo censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE.  Para secretário de Saúde, Alair Firmiano, "o maior objetivo da gestão é melhorar a qualidade dos serviços oferecidos pela saúde, descentralizando e tornando os serviços mais acessíveis”, enfatiza. 

Luiz Cézar, auditor municipal do SUS, enfatiza que o maior problema para os agendamentos de consultas e exames é a comprovação de endereço. “Muitos questionam essa questão da comprovação do endereço, mas isso é uma forma de garantir o atendimento para que o usuário não seja penalizado com o acesso de pessoas de outras localidades”, esclarece. Segundo ele, o paciente deverá passar pelo crivo do médico do distrito do seu bairro, para só depois de analisado ser encaminhado a um especialista.

Ele ressalta que, “a partir do dia 15 setembro, os encaminhamentos deverão ter obrigatoriamente, o documento que norteia a referência, ou seja, a história clínica do paciente e para qual especialista deverá ser encaminhado. Além disso, deverá apresentar o comprovante de endereço, e o cartão do SUS”.

Para exame ou consulta especializada, o funcionário regulador do distrito fará o registro da vaga diretamente no sistema, caso não haja uma de imediato, esse paciente será colocado no pré-agendamento seguindo a ordem de solicitações. Todos os pré-agendamentos recebem um assinatura eletrônica, o que impede manipulações. Vale ressaltar que após a atualização feita pela auditoria no sistema, as informações além de digitadas são coletadas por imagem, o que comprova a veracidade das informações mencionadas pelo paciente e o funcionário regulador do distrito.

“Para amenizar a evasão de exames e consultas em longa escala, que é quando um paciente de outra cidade ocupa uma vaga pública de quem é de Imperatriz, a comprovação do endereço do cartão do SUS é primordial”, conclui o auditor.

Prazos

A terceira semana do mês é a entrega de todas as marcações agendadas de exames e consultas especializadas solicitadas. O paciente será informado qual o dia que deverá retornar, o que evitará filas nas unidades e mais comodidade aos usuário do SUS.

Auditoria de Saúde do município orienta quais documentos o usuário deverá apresentar para o atendimento pelo funcionário regulador do distrito: cartão do SUS, solicitação médica devidamente preenchida e qualquer comprovante de endereço em nome do usuário do cartão, tais como:
- Contas de água, luz, gás canalizado ou telefone fixo;
- Contracheque emitido por órgão público;
- Declaração emitida por universidade atestando que estudante reside em alojamento por ela mantido (com o carimbo ou chancela da instituição emissora);
- Contas de internet fixa ou TV a cabo;
- Boleto de cobrança de plano de saúde, condomínio, financiamento imobiliário ou mensalidade escolar;
- Carnê de cobrança de IPVA ou IPTU com data de vencimento nos últimos 12 meses;
- Multa de trânsito emitida nos últimos 180 dias;
- Contrato de locação de imóvel (todas as páginas com firma reconhecida);
- Extrato do Fundo de Garantia por Tempo de serviço (FGTS);
- Laudo de avaliação de imóvel pela Caixa; Escritura ou certidão de ônus do imóvel;
- Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos;
- Termo de Rescisão do Contrato de Trabalho;
- Declaração de residência emitida pela defensoria pública.

Instagram @correioma