Quarto caso de sarampo é confirmado no Maranhão

O estado é um dos 16 que tem notificação ativa para o surto da doença que está atingido todo o país

ESTADO Reprodução Quarto caso de sarampo é confirmado no Maranhão

O Imparcial
16/09/2019 07:23 atualizado em 16/09/2019 07:25

A Secretaria de Estado da Saúde (SES), confirmou na última sexta-feira, 13, que um bebê de sete meses, do município de Caxias é o quarto caso confirmado de sarampo no Maranhão. A criança não possuía histórico de vacinação. A SES já iniciou as ações de bloqueio, com imunização dos contatos diretos.

Os três primeiros casos confirmados da doença foram registrados em Vitorino Freire, uma mulher de 40 anos, vinda de São Paulo; em Lago da Pedra, um bebê de 8 meses; e em São Luís, um homem de 33 anos, vindo de Santos (SP). Em todos os casos, as pessoas não eram vacinadas.

O estado é um dos 16 que tem notificação ativa para o surto da doença que está atingido todo o país.

A SES enfatiza que as doses da vacina estão sendo distribuídas regularmente, conforme a população de cada município, e que este é o responsável pela imunização. Em São Luís, os pais podem se dirigir a uma das unidades de referência para aplicação das vacinas – com o cartão das crianças – nas unidades Paulo Ramos, Bairro de Fátima, Clodomir Pinheiro Costa, São Francisco, Turu, Genésio Rego, Ribamar Frazão e Itapera; as unidades mistas Itaqui-Bacanga, Coroadinho e São Bernardo; e os Centros de Especialidades Médicas Vinhais e Cidade Operária; e a Maternidade Marly Sarney.

Foco na dose zero para crianças – Nesta semana, o Ministério da Saúde divulgou uma portaria em que determina que a vacinação de grupo prioritário é para imunizar crianças de 6 meses a 11 meses e 29 dias com a dose zero; é preciso, ainda, completar o esquema com as outras duas doses de rotina, sendo uma dose aos 12 meses (tríplice viral) e outra aos 15 meses (a tetra viral).

Pessoas até os 29 anos, devem também receber duas doses, da tríplice ou tetra viral; e aqueles com idade entre 30 a 49 anos, devem tomar uma dose única, da tríplice ou tetra viral. As doses estão sendo distribuídas nos postos de saúde.

A vacina é a única forma de prevenção do sarampo, uma doença infecciosa grave que pode levar a óbito.

Transmissão

O Ministério da Saúde alerta que a transmissão do vírus ocorre de pessoa a pessoa, por via aérea, ao tossir, espirrar, falar ou respirar. O sarampo é tão contagioso que uma pessoa infectada pode transmitir para 90% das pessoas próximas que não estejam imunes. A transmissão pode ocorrer entre 4 dias antes e 4 dias após o aparecimento das manchas vermelhas pelo corpo.

Instagram @correioma