Prêmio Francisca do Lindô contempla grupos folclóricos de Imperatriz

A Fundação Cultural divulgou resultado do prêmio que contemplará grupos de quadrilha e bumba-meu-boi com repasse em dinheiro

PREMIAÇÃO Reprodução Prêmio Francisca do Lindô contempla grupos folclóricos de Imperatriz
Hyana Reis

Hyana Reis
03/07/2019 12:29 atualizado em 03/07/2019 15:25

Onze grupos folclóricos de Imperatriz serão contemplados com repasse em dinheiro, por meio do Prêmio Dona Francisca do Lindô de Cultura Popular. O resultado foi divulgado pela Fundação Cultural com a seleção de quadrilhas juninas, grupos de bumba-meu-boi e de danças populares.

"O prêmio tem por finalidade a seleção dos grupos folclóricos, que receberão recursos para produção e fomento das manifestações que valorizam a cultura local. Já é o terceiro ano consecutivo que a gestão municipal realiza concursos para incentivo aos grupos folclóricos", ressalta José Carneiro Buzuca, presidente da Fundação Cultural.

Os grupos Boi Vitória, Boi Bem Querer, Cia Sotaque, Kizomba, Batalhão Real, Junina Arrastapé, Junina Mensageiros, Junina Esperança do Sertão, Junina Balão de Ouro, Junina Conceição e Junina Só Matutando foram as selecionadas pelo Pêmio Francisca do Linô, segundo edital.

De acordo com o edital, os dois grupos de Bumba-meu-boi receberão R$ 6 mil, assim como os dois grupos de dança de cultura popular. Duas quadrilhas recebem R$ 8 mil, enquanto as outras quatro R$2 mil. Já o grupo Batalhão Real, no qual Dona Francisca do Lindô foi fundadora, foi contemplado também com R$2 mil.

Francisca do Lindô

Resultado de imagem para francisca do lindô
Dona Francisca e o grupo Batalhão Real. (Reprodução)

Uma das maiores representantes da fomentação da cultura de Imperatriz, Dona Francisca do Lindô recebeu o título de Mestra da Cultura Popular do Brasil, do Ministério da Cultura, por desenvolver um trabalho com crianças e adolescentes por meio do Lindô e da Mangaba, danças tradicionais brasileiras.

Em vida, chegou a lançar um CD produzido por músicos da cidade de Imperatriz, com composições próprias e outras de domínio público chamado “Batalhão Real: Lindô e Mangaba de Dona Francisca”. A mestra morreu em junho de 2017, após lutar contra um câncer de mama.

Instagram @correioma