Pará: Conselho debate projeto de compensação financeira por exploração

O objetivo da compensação financeira é para diminuir os danos causados pela exploração de recursos minerais

CIDADES Reprodução Pará: Conselho debate projeto de compensação financeira por exploração

Folha do Bico
03/12/2018 08:30 atualizado em 03/12/2018 14:31

O projeto de lei que propõe a destinação de, pelo menos, 20% da parcela da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM) para ações relativas à diversificação econômica, ao desenvolvimento mineral sustentável e ao desenvolvimento científico e tecnológico, foi a principal pauta de discussão da última reunião do Conselho Estadual de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Consectet), na última sexta-feira, 30.

A expectativa para a aprovação pela Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa) é grande. A proposta foi redigida pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) e discutida junto com os representantes dos órgãos e instituições participantes do Consectet, os quais deliberaram a favor da redação.

O documento foi assinado pelo governador do Estado, Simão Jatene, e enviado à Alepa já no segundo semestre deste ano. Da reserva prevista, 75% ficariam assegurados para o desenvolvimento, inovação científica e tecnológica e qualificação profissional, vedada a utilização para pagamento de pessoal e bolsa de pesquisa, e 25% para a promoção de apoio a startups e micro e pequenas empresas inovadoras.

“Tudo que foi construído não são iniciativas isoladas, são realizadas de forma paralela, são ações de Estado, não de Governo. O Consectet legitima as decisões que temos tomado e contribui para um controle social dessas ações”, afirmou o titular da Sectet, Alex Fiúza de Mello.

O encontro reuniu representantes da Universidade Federal do Pará (UFPA); do Centro Universitário do Estado do Pará (Cesupa); da Empresa de Processamento de Dados do Estado do Pará (Prodepa); da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Pará (Fapespa); do Parque de Ciência e Tecnologia Guamá (PCT Guamá); do Instituto Evandro Chagas; da Federação da Agricultura e Pecuária do Pará (Faepa); e da Federação da Associação dos Municípios do Estado do Pará (Famep).

Instagram @correioma