Mais de 14 mil bolsas de estudos são ofertados no Maranhão 

Para concorrer é necessário realizar a inscrição no site e declarar interesse em alguns dos cursos oferecidos 

EDUCAÇÃO Reprodução Mais de 14 mil bolsas de estudos são ofertados no Maranhão 
Daniela Souza

Daniela Souza
10/01/2019 18:40 atualizado em 10/01/2019 18:48

Material escolar, matrículas e uma série de impostos a pagar no início do ano, essas são algumas das preocupações dos chefes de família a cada mês de janeiro. Mas não é só de problemas financeiros que se vive o primeiro mês do ano. Nesta época as universidades e escolas procuram oferecer bolsas de estudos para manter muita gente longe de mensalidades.  

Um programa de educação básica no Maranhão, por meio do Educa Mais Brasil, está oferecendo mais de 14 mil bolsas de estudos voltada para a educação básica no estado. Sendo está uma opção de economizar sem interferir na qualidade do ensino.  

O programa contempla desde as fases iniciais até o início da adolecência: Berçário, Ensino Infantil, Fundamental e Médio. As bolsas de estudo são de 50% de desconto nas mensalidades para creches e escolas particulares parceiras na capital, região metropolitana e interior. Com esse auxílio, mais de 900 mil pessoas, entre elas crianças e jovens, já foram beneficiadas. 

Para a diretora de expansão e relacionamento do Educa Mais Brasil, Andréia Torres, o programa contribui, a partir das bolsas de estudo, com os sonhos de muitos pais em poder oferecerem o melhor aos seus filhos.  

“A educação é um investimento que deve ser encarado como prioridade, porém está cada vez mais difícil manter o custo de um filho matriculado em uma creche ou escola particular, imagine para quem tem dois ou mais? Com o auxílio do Educa Mais Brasil fica mais fácil, já que a mensalidade cai para a metade do valor, trazendo uma economia bastante significativa até o final do ciclo escolar.” 

Dados apontam que mais de 7 milhões de estudantes matriculados no ensino fundamental e médio na rede pública estão em situação de "distorção idade-série", ou seja, possuem dois ou mais anos de atraso escolar. O ensino médio concentra o maior número, com cerca de 2 milhões. 

Dentre as soluções, a Unicef sugere políticas públicas específicas para combater o fracasso escolar e desenvolver propostas pedagógicas de atenção especial a estudantes em risco de fracasso e abandono escolar. Em todo país são oferecidas mais de 300 mil oportunidades.  

 Para saber mais acesse o site

Instagram @correioma