“Jiu-Jitsu nas Escolas” encerra ano letivo com torneio

Competição esta programada para o dia 20, no Complexo Esportivo Barjonas Lobão

COMPETIÇÕES Patrícia Araújo “Jiu-Jitsu nas Escolas” encerra ano letivo com torneio

Assessoria
14/12/2018 10:00 atualizado em 14/12/2018 14:25

Para encerrar com chave de ouro a temporada de 2018 do "Jiu-Jitsu nas Escolas", será realizado torneio no dia 20 de dezembro (quinta-feira), a partir das 8h, no Complexo Esportivo Barjonas Lobão. Participam atletas do projeto Batuk, equipe da academia Shuduca Tean, Arena Jiu-Jitsu, e do CETRA (Centro Treinamento Rodrigo Argentino), nas categorias infantil, infanto, aberta de adulto e de absoluto.

Denis Venceslau informou que já foram realizados três torneios, todos internos e agora o primeiro aberto, com participação de equipes de fora, principalmente das academias de Imperatriz. Todos os alunos dos dois polos do "Jiu-Jitsu  nas Escolas” participarão da disputa.  “Nossa intenção é de levar nossos atletas para São Luís, ano que vem, para competir de igual por igual com a capital. Somos o segundo maior colégio do jiu-jitsu do estado e não podemos ficar para trás, por isso o trabalho forte”, – destacou.

O projeto "Jiu-Jitsu nas Escolas" foi lançado no dia 26 de setembro de 2017. Objetivo é de promover a inclusão social, desenvolvimento humano e esportivo, além de melhorar a qualidade de vida de adolescentes entre 9 a 15 anos. Inicialmente, o projeto contemplou 50 alunos de escolas de ensino da rede municipal, localizadas em áreas centrais da cidade. Entretanto, desde o dia 13 de agosto, que está funcionando o segundo pólo, no Complexo Esportivo Recanto Universitário, sediado na Praça da Juventude Amâncio de Oliveira, na Vila Fiquene, com participação de 50 estudantes.

Além do professor Denis Venceslau, atividades são acompanhadas pelos profissionais Romilson Pereira e Edilson Farias, o Senegal, que trouxeram resultados nos Jogos Escolares Imperatrizenses, Jogos Escolares Maranhenses e até torneios interestaduais. Além disso, os alunos melhoraram comportamento nas escolas, se interessando mais pelo estudo e, principalmente, na questão do auto-estima e da disciplina, como prega essa milenar arte marcial.

Instagram @correioma