I Noite das Personalidades Negras homenageia incentivadores do teatro na escola

A diretora da escola explicou aos presentes como surgiu a ideia de criar um grupo de teatro na escola  

EDUCAÇÃO (Foto: Daniela Souza) I Noite das Personalidades Negras homenageia incentivadores do teatro na escola
Daniela Souza

Daniela Souza
11/09/2018 08:33

Uma noite regada por personalidades e convidados para lá de especiais. Um poema e interação com a plateia. Um jeito novo de marcar uma noite de gala em Imperatriz, véspera de feriado. Foi nesse estilo que a Companhia Afro de Teatro Reinvent´arte comemorou seus cinco anos de existência. Logo no boa noite dos cerimonialistas a energia contagiou a plateia que permaneceu até o fim da comemoração.  

A primeira ‘Noite das Personalidades Negras’ foi idealizada com o objetivo de comemorar o aniversário da Companhia, resultado da parceria entre o Centro de Cultura Negra Negro Cosme (CCNNC) de Imperatriz e o Centro de Ensino Urbano Rocha, este último sede do evento. A diretora da escola explicou aos presentes como surgiu a ideia de criar um grupo de teatro na escola.  

“Eu conversei com algumas pessoas do CCNNC e falei do meu desejo de fazer alguma oficina de dança ou de teatro na escola. Então me apresentaram o professor Domingos de Almeida. Ele aceitou e depois fizemos a seleção para a Companhia, os próprios membros criaram o nome”, contou. 

O evento homenageou pessoas que ao longo desses cinco anos contribuíram com as atividades do grupo: Maria Luísa Rodrigues; Doralice Mota; Gizelda Pereira; José Pereira; Joseane Pereira e a instituição Centro de Defesa da Vida e dos Direitos Humanos/Carmen Bascarán de Açailândia. Cada recebeu um símbolo de Menção Honrosa por terem contribuído diretamente com as atividades de teatro na escola.  

Jovens que passaram pela Companhia também participaram da noite e falaram das contribuições que o teatro trouxe para suas vidas. “O teatro me ajudou a desenvolver como pessoa. Contribuiu nos meus estudos e convivência familiar. Hoje em dia não acompanhamos o dia a dia da Companhia, mas sempre que possível participo das ações e eventos”, relata Raimundo Francisco que participou da primeira turma de teatro, em 2013.  

A Companhia  Afro iniciou suas atividades no dia 06 de setembro de 2013. De lá para cá mais de 200 estudantes já passaram pelo grupo e ganham visibilidade por levar o ‘fazer teatral’ com a temática negra em diversos espaços do município e estado: praças, escolas, universidades, empresas, assentamentos e em Festivais.  

Atualmente, a Companhia é formada por 12 atores e atrizes, dentre eles, um dos diretores que já foi ator do grupo. Em seus espetáculos costumam relatar e promover também a tolerância e respeito às diferenças por meio de suas produções artísticas. A militância e engajamento com a defesa da cultura negra proporcionou a aprovação de um projeto financiado pelo Fundo de Amparo à Pesquisa no Maranhão (FAPEMA) intitulado de “A escola no mundo do faz de conta”, que iniciará suas atividades ainda neste ano. 

Instagram @correioma