Estudo aponta Imperatriz entre as 7 cidades com coleta seletiva

A cidade ficou entre as 7 principais cidades do país que fazem programas voltados ao meio ambiente e a reciclagem

IMPERATRIZ Reprodução Estudo aponta Imperatriz entre as 7 cidades com coleta seletiva

Assessoria/PMI
09/08/2019 09:47 atualizado em 09/08/2019 09:57

Com base em pesquisa do Compromisso Empresarial para Reciclagem-Cempre, o município de Imperatriz, com 258 mil habitantes, dados do IBGE, se configura entre os 7 principais municípios brasileiros que mais reciclam materiais, com 4,7%, acima da média nacional 3,7%. Os números se aproximam de grandes cidades como Florianópolis, SC, 6%, Palmas, TO, 6%, e Goiânia, GO, 5,7%. Segundo dados da entidade, das 5.570 unidades administrativas municipais, apenas 1.227, cerca de 22% do total, operam com programas de Coleta Seletiva.

Para a secretária de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Rosa Arruda, o estudo serve como termômetro para que os municípios acompanhem em nível nacional seus desempenhos, metas e diretrizes da Política Nacional de Resíduos Sólidos. “Por isso a Semmarh, por meio do Departamento de Educação Ambiental, vem desenvolvendo um trabalho de conscientização em diversos pontos da cidade”. Ela acrescentou ainda que “a reciclagem é uma excelente alternativa para a problemática de resíduos sólidos urbanos, alcançando a esfera ambiental, o âmbito social e o desenvolvimento econômico”, informou.

Desde os anos 1990, com o aumento do consumo das famílias, a questão dos resíduos sólidos tem ganhado notoriedade no Brasil. A Lei 12.305/10, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos, PNRS, estabelece que a Coleta Seletiva é obrigação dos municípios em um processo que consiste na separação e recolhimento dos resíduos descartados por moradores ou empresas da cidade. “Apesar de ainda termos muito que fazer, quando olhamos a situação política e econômica do país, o resultado é muito positivo, conseguimos aumentar muito a reciclagem. O Brasil tem uma legislação extremamente avançada e vem criando um modelo bastante versátil, em que vários formatos de reciclagem coexistem, de acordo com as possibilidades regionais”, destacou o secretário adjunto da Semmarh, Flávio Oliveira.

A Prefeitura de Imperatriz, por meio da Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Semmarh, passou a desenvolver a coleta seletiva em setembro de 2018, no regime porta a porta. Sendo a primeira cidade do Maranhão a contar o serviço de Coleta Seletiva nas residências e frutos deste trabalho, o município de Imperatriz foi premiado com o 1º lugar em gestão ambiental no Estado do Maranhão. O projeto desenvolvido em parceria com empresas, condomínios, agências bancárias, escolas, igrejas e instituições em geral. “Temos um conjunto de ações para fazer dar certo a gestão de resíduos. Começando com um elemento fundamental que é o cidadão, a pessoa. Se o cidadão não estiver adepto, aberto a participar de um sistema de gestão de resíduos, principalmente de reciclagem, esse sistema não funciona”, disse Jairo Sant’Ana, coordenador de Coleta Seletiva.

Em 2018 o projeto de Coleta Seletiva do município alcançou quase 263 toneladas de recicláveis e nos primeiros 06 meses de 2019 já foram contabilizadas cerca de 232.380 toneladas coletadas e encaminhadas para Associação de Catadores de Materiais Recicláveis de Imperatriz, Ascamari, Avenida Cacauzinho, s/n, Recanto Universitário, Vila Fiquene. O projeto beneficia cerca de 200 famílias que vivem em situação de vulnerabilidade econômica e têm na coleta de resíduos a principal fonte de renda.

Instagram @correioma