Em São Paulo, projeto põe alunos no papel de criadores de tecnologia

O programa contou com o apoio do Google e do Centro Paula Souza, que administra as escolas técnicas

EDUCAÇÃO Um dos projetos premiados auxilia idosos, verificando, por exemplo, data de validade dos remédios.
OMS/ONU News/Um dos projetos premiados auxilia idosos, verificando, por exemplo, data de validade dos remédios.

Agência Brasil
Quarta-feira, 17 de Outubro de 2018

Projetos produzidos por alunos do ensino médio da rede pública de ensino de São Paulo foram apresentados na terça (16) no Startup in School, a maior maratona estudantil de programação de softwaredo estado, evento voltado ao empreendedorismo tecnológico. 

Dois projetos foram premiados: o Doe-se, da Escola Técnica Philadelpho Gouvêa Netto, de São José do Rio Preto, e o ÉSaúde, da Escola Técnica Nelson Alves Vianna, de Tietê. O primeiro consiste em um aplicativo para agilizar os procedimentos para doação de sangue, com o intuito de ampliar o número de doadores. Já o ÉSaúde busca facilitar a vida dos idosos que fazem uso de remédios, acompanhando a data de validade e de entrega do medicamento.

Segundo a diretora-geral da empresa Ideias de Futuro, responsável pela metodologia do Startup in School, Jaciara Cruz, objetivo do programa é fortalecer a cultura empreendedora dos alunos e colocá-los no papel de criadores de tecnologia. “Eles estão muito acostumados a ser usuários de tecnologia, faz parte do dia a dia deles. O Startup in School faz eles pensarem como é criar uma solução, criar um aplicativo desses que eles usam o tempo inteiro.”

Jaciara destaca que o programa faz com que os alunos identifiquem problemas, entendam a necessidade das pessoas e criem uma solução adequada para a necessidade dos usuários. “Temos o objetivo de fortalecer a cultura e competências empreendedoras dos alunos, e colocá-los no papel de criadores de tecnologia.” O programa contou com o apoio do Google e do Centro Paula Souza, que administra as escolas técnicas, e a participação de 1,5 mil alunos da rede pública. 

Instagram @correioma