Diretoria do Moto volta atrás após anunciar demissão do treinador

Wallace Lemos havia sido demitido ainda no sábado. No domingo, presidente do Moto voltou atrás e manteve o treinador

FUTEBOL Zeca Soares Diretoria do Moto volta atrás após anunciar demissão do treinador

GE Maranhão
15/04/2019 11:51 atualizado em 15/04/2019 15:32

A derrota por 3 a 2 diante do Imperatriz e, consequentemente, a perca do título estadual, custou a demissão do técnico Wallace Lemos do Moto Club. Mas em menos de 24 horas, a diretoria do Rubro-Negro mudou de decisão e conversou com o treinador, que permanece para a Série D.

Em uma extensa entrevista, concedida a uma emissora de rádio da capital, o treinador revelou a forma como recebeu a notícia e posteriormente a reunião que selou sua permanência no clube. – “De sábado para domingo recebi uma mensagem do presidente que ele iria trocar toda a comissão técnica e precisava fazer alguns ajustes. Estava tudo acertado para que eu saísse. No domingo pela manhã, houve uma nova conversa, com outra forma para ver o planejamento e o presidente falou que queria continuar com o trabalho. Ajustamos as situações de que era o melhor para o Moto, pelo trabalho que está sendo feito e pelo que está sendo proposto, mas tudo isso passa por vitórias, sabemos disso” – disse Wallace.

O jogo decisivo ainda dói na memória do treinador. O gol do Imperatriz saiu aos 47 minutos do segundo tempo, após uma bola lançada do campo defensivo para a grande área do Rubro-Negro e que terminou sobrando para Adauto selar a virada do Cavalo de Aço. Para Wallace Lemos, Deus é a única explicação para o time ter perdido o título no minuto final do campeonato. – “Infelizmente não conseguimos o título, quando estava tudo encaminhado na partida. O que falei para os jogadores e é o que estou me pegando, é que não era para ser nosso. Só Deus pode explicar essa situação e a gente não pode ir contra a vontade dele. Aqui as ações são nossas, mas tudo é comandado por ele. É onde fui buscar uma definição para aquele momento. Uma equipe que leva dois gols em todo o torneio e em 45 minutos leva três gols e erramos tudo que é básico, só um comando maior isso pode acontecer” – tentou explicar o treinador.

Sobre a mudança na decisão da diretoria sobre sua demissão, Wallace Lemos pontua o trabalho acumulado ao longo dos quatro meses no Moto Club como fundamental para sua permanência. Nesse período, foram 21 jogos disputados, com 11 vitórias, oito empates e apenas duas derrotas, diante do ABC na segunda fase da Copa do Brasil, e diante do Imperatriz na decisão do Campeonato Maranhense. – “Isso é coisa corriqueira, o planejamento passa por resultado. Nosso presidente só voltou atrás na decisão porque foi dado esse histórico do que foi feito no dia a dia e no jogo a jogo. Continuo porque acredito no projeto, porque todo mundo sabe que a gente tinha propostas para deixar o clube. Eu deixei bem claro que a hora que eu me sentir constrangido ou perder minha autoridade, eu entrego meu boné e vou embora. Enquanto estou no comando, o comando técnico de planejamento é meu. Será assim enquanto eu estiver e a nível de resultado, eu deixo bem claro que isso é normal”.

Para a disputa do Campeonato Brasileiro da Série D, o elenco ganha 15 dias de folga e a partir da próxima quarta-feira reinicia os treinamentos. O Rubro-Negro estreia fora de casa, contra o Atlético de Roraima.

Instagram @correioma