Clube do Livro de Imperatriz debate “Persépolis” neste domingo

A reunião para debater o quadrinho de Marjane Satapri ocorre no Centro de Convenções, a partir das 16h

LITERATURA Reprodução Clube do Livro de Imperatriz debate “Persépolis” neste domingo
Hyana Reis

Hyana Reis
29/09/2018 16:00 atualizado em 01/10/2018 12:49

Uma história em quadrinho baseada em fatos reais, mostrando a infância e adolescência de uma jovem no Irã. Trata-se da obra literária “Persépolis”, que alcançou sucesso mundial, e será debatida neste domingo (30) pelo Clube do Livro de Imperatriz.

A reunião é aberta ao público e acontece a partir das 16h no Centro de Convenções, durante programação do 16° Salão do Livro de Imperatriz (Salimp). O debate será realizado no espaço “Café Literário” e contará com membros do clube e admiradores do livro “Persépolis”.

Mas de acordo com o grupo, todos são bem vindos a participar, mesmo quem não leu o livro. “O clube é uma ótima oportunidade para conhecer pessoas que também se interessam pela leitura e trocar experiências”, ressalta Igor Miranda, fundador do Clube do Livro de Imperatriz.

A obra

“Persépolis” chegou a ser eleito o segundo melhor livro da década; já ganhou uma adaptação para cinema, indicada ao Oscar; e já ficou anos na lista de best-sellers, sendo traduzido para dezenas de países.

A obra é autobiográfica, onde a autora e ilustrora do livro Marjane Satrapi conta que tinha apenas dez anos quando se viu obrigada a usar o véu islâmico, numa sala de aula só de meninas. Nascida numa família moderna e politizada, em 1979 ela assistiu ao início da revolução que lançou o Irã nas trevas do regime xiita.

O livro aborda as dificuldades enfrentadas por uma jovem em meio a uma guerra e a um regime extremamente conservador.

Instagram @correioma