CBF arquiva Notícia de Infração contra o São Bento-SP

Paysandu havia denunciado, no STJD, que a equipe paulista teria infringido o artigo 214 do CBJD

FUTEBOL Atacante Gabriel Vasconcelos está regular no São Bento.
Divulgação/Atacante Gabriel Vasconcelos está regular no São Bento.

Site do STJD
Quarta-feira, 07 de Novembro de 2018

A Procuradoria da Justiça Desportiva arquivou a Notícia de Infração impetrada pelo Paysandu contra o São Bento por suposta escalação irregular na Série B do Campeonato Brasileiro. No entendimento da Procuradoria não houve infração disciplinar na escalação do atleta Gabriel Monteiro Vasconcelos e, por isso, o caso foi arquivado. A decisão foi comunicada na manhã de quarta, dia 7 de novembro.

O Paysandu ingressou com Notícia de Infração no STJD no dia 25 de outubro. No documento o clube alega que o atleta Gabriel Monteiro Vasconcelos atuou em cinco partidas pelo São Bento válidas pela Série B do Campeonato Brasileiro e destaca que o artigo 8º do regulamento específico da competição fala que cada clube poderá receber até cinco atletas transferidos de outros clubes da Série B e que esse atleta Gabriel foi o sexto e, portanto, não poderia atuar.

Ainda segundo o Paysandu, o São Bento ao relacionar o atleta Gabriel cometeu infração ao artigo 214 do CBJD ao fazer constar da súmula ou incluir na equipe atleta em situação irregular.

O STJD recebeu a Notícia de Infração e encaminhou para a Procuradoria. Após acesso a documentação, a Procuradoria abriu vista para a Diretoria de Competições e a Diretoria de Registros e Transferências da CBF pedindo que se manifestassem sobre o caso. No retorno, as diretorias se posicionaram contrárias as alegações do Paysandu e rechaçaram irregularidade na escalação do atleta pelo São Bento.

No entendimento da Procuradoria, a alegação na Notícia de Infração parte de uma confusão entre a atuação do atleta pela Ponte Preta e sua posterior transferência ao São Bento no mesmo campeonato. Na explicação, a Procuradoria destaca que o artigo 8º do REC proíbe a transferência entre clubes da Série B de forma direta. No caso específico ocorreu uma transferência através de uma rescisão de cessão temporária do atleta e novo empréstimo entre dois clubes disputantes da mesma competição com o detentor de seus direitos pertencentes ao Corinthians, clube da Série A.

No presente caso houve uma transferência de um clube da Série A para o clube da Série B não havendo, portanto, qualquer relação com norma dita violada (artigo 8º do REC).

Instagram @correioma