"Caravana Arte e Cidadania" revela talentos musicais em Imperatriz

Poesia, dança e teatro marcam programação do projeto que ocorre nas escolas municipais

PROGRAMAÇÃO Reginaldo Brito "Caravana Arte e Cidadania" revela talentos musicais em Imperatriz

Assessoria
11/11/2018 07:20

A edição desta semana do “Caravana Arte e Cidadania nas Escolas”, na Escola Municipal Guilherme Dourado foi marcada pela música. Evento oportuniza estudantes de 7 a 16 anos de escolas públicas a apresentarem seus talentos culturais.

Debaixo de mangueiras, no pátio da escola, pelo menos 10 estudantes se revezaram em apresentações diversas como declamação de poesia, dança folclórica e os shows musicais de repertório variado, com composições gospel e secular.

Klethely Oliveira Martins, 12 anos, fez uma apresentação com voz e violão que arrancou gritos da plateia.  “Foi muito legal, deu um friozinho na barriga, mas foi bom, gostei”, comemorou o aluno que estreou seu violão.

Os irmãos Kauan Mateus, 11, e Caiqui Miguel Morais, 6, mostraram todo o talento ao cantarem uma música evangélica. Os aplausos entusiasmados do público revelaram que a semana inteira de ensaios deu certo para a dupla que cantou “Os olhos do pai”, da banda Diante do Trono. Kauan, ainda, voltou ao palco para outra canção.

A recreadora Jô Santos animou o público e desta vez contou com uma ajudinha especial. A artista que dá vida ao Palhaço Peteleco dividiu a apresentação com o palhaço Epaminondas, nome adotado pelo estudante Eduardo da Conceição Jorge, 12. A estudante Maria Alice de Jesus Campos declamou “Entre o Sono e o Despertar”, poesia do jornalista Josué Moura.

Fantasiado o estudante fez brincadeiras, e ao final, revelou que se identifica muito com arte e pretende seguir carreira. Ele já tem canal no YouTube e, se convidado, faz animação de festa de crianças. O coordenador do projeto, Osório Neto, afirmou que a revelação de talentos como o “palhacinho” é bem-vinda pela trupe da Fundação Cultural.

“Temos muitas revelações na área da dança, que é uma congregação de pessoas, e o número é maior de dançarinos, mas na Escola Guilherme Dourado foi diferente. Foram grandes revelações na área da música, tanto secular quanto gospel em altíssima frequência, e descobrimos um integrante da linguagem circense, um palhaço, isso é coisa rara nesta era cibernética encontrar uma criança de 12 anos com esse domínio e talento”, comemorou. O sucesso do palhaço Epaminondas foi tanto que ele foi convidado e vai integrar a trupe do projeto Caravana Arte e Cidadania nas Escolas.

A gestora da Escola Guilherme Dourado, no Parque São José, Ivone Milhomem destacou que o projeto “só veio somar com nossa escola e o que fica é o aprendizado, colocar o aluno para mostrar o seu melhor e a prefeitura e a Fundação Cultural estão de parabéns”.

Instagram @correioma