Agência MOB conversa com empresas de transporte intermunicipal

Reunião abordou problemas que geram reclamações e alertou para o atendimento na reta final do ano

IMPERATRIZ Hemerson Pinto Agência MOB conversa com empresas de transporte intermunicipal
Hemerson Pinto

Hemerson Pinto
30/11/2018 16:42 atualizado em 30/11/2018 19:29

A rodoviária de Imperatriz recebe fluxo considerável de passageiros durante todo o ano. A exemplo de outros terminais com grande movimentação, com a aproximação das festas de fim de ano, é comum registrar aumento de embarque e desembarques para diversos destinos do país, partindo da segunda maior cidade do Maranhão.

“Eu venho todos os anos no mês de dezembro, aqui de perto, Timon. Sempre chego perto do dia 20 de dezembro. Desta vez me adiantei muito por causa de uma tia que está doente e resolvi ajudar a cuidar dela, já que estou de férias e minhas primas todas trabalhando”, disse a auxiliar de escritório Camila Pinheiro.

Camila está entre o público que utiliza ônibus e micro-ônibus que saem e chegam todos os dias no Terminal Rodoviário Jackson Lago. São os veículos alvos da fiscalização da Agência Estadual de Mobilidade Urbana e Transporte (MOB), que vai iniciar fiscalização voltada para o embarque e desembarque em Imperatriz.

Na tarde desta sexta-feira a coordenação da MOB local esteve na rodoviária e conversou com representantes de várias empresas.

“Agora em dezembro a previsão é de aumento de passageiros no terminal rodoviário e alguns fatores não podem passar despercebidos, como a gratuidade, a pontualidade nas chegadas e saídas dos carros, temos que observar como estão as condições do transporte, o conforto, a segurança, então vamos conversar com as empresas e neste mês intensificar a fiscalizar aqui na rodoviária. Vamos conversar com passageiros, entrar nos ônibus e cumprir com nossa responsabilidade”, declarou o coordenador Davison do Nascimento.

Ele disse que uma das reclamações que vão parar no Ministério Público é o não cumprimento da lei da gratuidade para idosos.

“A lei é muita ampla e às vezes deixa dúvidas: a lei federal fala que o direito é para idosos a partir de 65 anos, mas podendo o poder local disciplinar. No nosso caso a MOB disciplinou para 60. Não há de uma maneira predominante a desobediência a essa lei, mas vez ou outra acontece”, lembrou.

Davison cobrou atenção dos atendentes dos guichês na hora de receber o público idoso, pessoas com deficiência “parar, termos um pouco mais de paciência, são pessoas que precisam e merecem muita atenção”.

Na reunião os representantes das empresas tiveram espaço para expor outros problemas e apresentar sugestões.

Gil é atendente no guichê de uma empresa que faz linha para capitais do Nordeste, Sudeste, Norte e Centro Oeste do país, mas lembrou que os carros, ao saírem de Imperatriz e ao percorrerem as rodovias dentro do território maranhense estão sob as normas para o transporte intermunicipal, por isso considerou oportuna a participação na reunião com a MOB.

O atendente aproveitou para falar sobre os casos de aliciamento de passageiros, que segundo ele, é comum neste período, quando empresas costumam colocar carros extras para aproveitar o aumento na demanda.

“Existe empresas que não estão respeitando os colegas, mas colocam horários em cima dos horários de outras empresas cobrando valor mais baixo. Isso é aliciamento e precisa ser combatido”, denunciou Gil Alencar.

Instagram @correioma