Agência Fluvial vai reforçar segurança e fiscalização em veraneio

Além da Agência, em coletiva de imprensa realizado na manhã de terça-feira, 18, os parceiros e organizadores do período declararam reforço na segurança e infraestrutura  

IMPERATRIZ Daniela Souza Agência Fluvial vai reforçar segurança e fiscalização em veraneio
Daniela Souza

Daniela Souza
18/06/2019 16:02 atualizado em 18/06/2019 16:27

Com 60 dias de programação cultural e reforço na segurança dos banhistas, o período de veraneio começa no próximo dia 06 de julho. A intenção é oferecer aos imperatrizenses e visitantes dias de diversão com segurança e infraestrutura ampliada.  

Na manhã desta terça-feira, 18, durante coletiva de imprensa, o Capitão da Agência Fluvial de Imperatriz, Tenente Roberto Carlos dos Santos, que representa o órgão da Marinha do Brasil, comandante da Agência há quase dois anos, lembrou dos serviços que serão oferecidos a população.  

“A nossa área de jurisdição abrange 62 municípios, 31 municípios do Tocantins, 26 no estado do Maranhão, cinco no Pará. Agência Fluvial de Imperatriz abrange cerca de 194 mil quilômetros quadrados, 20 graduados, 13 embarcações, 2 Jet Ski para poder atender toda essa área de jurisdição. Nesse período de veraneio aumenta o fluxo de embarcações, sobretudo as lanchas e os Jet Ski, transporte de passageiros e cargas”. 

Outra preocupação da Agência é com relação aos banhistas. Segundo ele, o aumento do número de banhistas faz com que a Marinha reforce a fiscalização verificando a questão da documentação das embarcações.  

“Para cada habilitação tem um tipo de embarcação, a arrais serve para amador que faz recreação ou esporte com a lancha aquaviário. A embarcação tem que ser inscrita na Marinha no brasil. Quem pode conduzi-la? qualquer pessoa habilitada para o tipo de embarcação”, explica. 

O comandante ressalta que uma das formas da população (banhistas) ajudar a equipe da Agência Fluvial nas fiscalizações é verificar se o proprietário da embarcação tem habilitação.  

“Nós vamos ser cada vez mais rigorosos quanto a ingestão de bebidas alcoólicas. Pode beber, mas não pode conduzir a embarcação. É igual a propaganda, ‘Se beber não dirija’. A embarcação, ela não tem freios. É um motor que pode vir a dar um problema. Então tomem cuidado pessoal”.  

Um exemplo citado pelo comandante é quando uma embarcação tem a capacidade para dez passageiros e o proprietário excede esse número. Então o passageiro pode solicitar ao tripulante para lhe mostrar os documentos.  

“Nos documentos de habilitação constam a quantidade exata de passageiros que pode ser transportado naquela embarcação. Caso exceda, também vai estar cometendo uma irregularidade e a marinha vai verificar isso. Então qualquer passageiro pode pedir para o condutor mostrar o documento. Se não quiser mostrar você pode anotar o número e nome da embarcação e faça uma denúncia a Marinha do Brasil”. 

O número para contato é (99) 3525-3391, localizado na Rua Coriolano Milhomem número 41, Centro, atendimento ao público de 9h ao 12h. “Mas a denúncia pode ser recebida em 24h por telefone”, afirma o tenente. 

Além desse tipo de trabalho, Santos relata que outro trabalho frequente da equipe é a visita em colônia de pescadores. De acordo com ele, é oferecido palestras e outros tipos de orientações. 

“A Marinha dá o curso de formação de aquaviários aos que trabalham com transporte de passageiros e cargas. São cerca de 5.200 mil aquaviários formados, mais o amador de jet ski e lancha, transporte recreio, que chega a cerca de 5.500 habilitados”, finaliza o comandante. 

Instagram @correioma