musculação/emagrecimento
treino/musculação/emagrecimento

Musculação emagrece?

Aquela velha história que se você consumir menos calorias e gastar mais, rapidamente você emagrecerá pode até ser uma máxima, porém, pensando única e exclusivamente nisso as pessoas se atacam numa famigerada e desenfreada busca pelo melhor exercício aeróbio para gastar mais calorias e pouco lembram dos treinamentos com pesos, e baseado na literatura eu vou tentar te convencer o quanto você vai precisar de musculação independente dos seus objetivos.

O treinamento com pesos promove alguns benefícios como a manutenção e aumento do metabolismo, decorrente do aumento de massa muscular, bem como a redução da gordura corporal, já que há um aumento do gasto energético e da consequente oxidação de calorias (Fleck e Kraemer, 2006).

Vale ressaltar que esse gasto maior que o consumo é o que chamamos de balanço energético e que para maior compreensão disso você precisa saber a sua taxa metabólica basal, que é individual e que por isso é importante falar também que as dietas da moda ou do seu ídolo fitness não servem para você, pois tudo isso depende de um cálculo realizado pelo seu nutricionista.

Quando se trata de programas com o objetivo de redução do peso corporal, parece que há um consenso com relação à prescrição do treinamento aeróbio regular para intensificar a perda de gordura corporal, porém este tipo de treinamento não impede a perda de massa magra, o que é minimizado com o treinamento resistido (Francischi, Pereira e Lancha Junior, 2001).

Ou seja, se matar de fazer exercícios aeróbios podem até te emagrecer mais, porém, para o aumento e manutenção da massa magra, indispensavelmente você vai precisar enfrentar os “ferros” na academia.

Por estes motivos os exercícios com pesos foram incluídos em programas de emagrecimento (Lopes, 2008), sendo que os principais fatores que os levariam a contribuir com a redução do peso seriam: aumento da taxa metabólica de repouso, através da manutenção e/ou aumento da massa muscular (Williams, 2002; Santarém, 2003), aumento no consumo de energia pós-exercício, já que após o exercício, o consumo de oxigênio permanece acima dos níveis de repouso por um determinado período de tempo (Meirelles e Gomes, 2004), o que resulta em um aumento no gasto calórico diário (Guedes, 2003). O aumento na taxa metabólica de repouso se deve ao fato de que o tecido muscular possui um nível metabólico superior ao do tecido adiposo, o que contribui para a redução do acúmulo de gordura corporal (Williams, 2002).

E aí? Partiu musculação?

Instagram: @ebersoncorpoesaude

 

Instagram @correioma