Joana d'Arc.
Reprodução/Joana d'Arc.

Joana d'Arc Maranhense?

Em uma eleição onde Maura Jorge (PSL) tinha do seu lado o maior fenômeno político do Brasil de todos os tempos, Bolsonaro (PSL), e ela só obteve 7,87% dos votos válidos, o seu desempenho na eleição mostrou para os maranhenses as suas verdadeiras limitações políticas.  Qual a líderança que a "Joana d'Arc", como pintam os seus seguidores, a rainha de Lago da Pedra, tem para ser a grande liderança do Maranhão? Maura Jorge, a ex daquele grupo, que governou por meio século o Maranhão foi reprovada nesta eleição. Ela será governadora do Maranhão quando o mês de fevereiro tiver 31 dias, quando as galinhas tiverem dentes, quando conseguirem voarem de São Luís a Brasília em um voo só, quando elas ciscarem para frente, ou quando o dia virar noite. Os seus aliados estão pintando a mesma como se fosse aquela rainha francesa que veio para libertar o Maranhão. Só espero que o Papa possa reconhecer tanta santidade e canonize ela na Igreja Matriz de Lago da Pedra, ou em praça pública.

Deputado presente

Rildo Amaral (SDD) afirmou a este colunista que vai cumprir o seu mandato de deputado estadual voltado para as necessidades do povo maranhense, em especial aos imperatrizenses, que é sua cidade base. Amaral disse que vai desenvolver um trabalho voltado para as necessidades e carências dos nossos munícipes. Amaral inaugurará um gabinete aqui na Terra do Frei que será a extensão do seu gabinete da Assembléia Legislativa para ouvir e tentar ajudar o nosso povo bem mais próximo. Sempre tivemos deputados eleitos que mudavam-se para São Luís e o nosso povo ficava esquecido por quatro longos anos. Rildo Amaral promete fazer diferente.

No Tocantins?

Manoelzinho Garimpeiro ventilou em roda de conversa que poderia ser candidato a prefeito em 2020, e alguém descaradamente perguntou bem sério: Manoelzinho, em qual cidade do Tocantins tu queres ser candidato? Pensem em um homem zangado.

Emoção

Segundo alguém ligado ao vereador Chiquim da Diferro (PSB), ele já se arrependeu das bobagens que falou em um vídeo, dizendo que não seria mais candidato a vereador em Imperatriz. Segundo esta pessoa, ele já teria afirmado que foi algo feito no calor de uma emocionada conversa em um barzinho. Mas ele é candidato a vereador em 2020, e vai enfrentar mais uma vez o seu adversário ferrenho, que é o vereador Bebé Taxista (PEN).

Patinhos e patinhas

A notícia do vereador José Carlos Soares (PV) de não ser mais candidato a vereador em (2020) abriu oportunidades a muitos aliados, que poderão colocar os seus nomes como candidatos a uma das 21 cadeiras no Parlamento Mirim na próxima eleição, que está as portas. A Blogueira Ana Kelly e o Blogueiro Duduzão já disseram que vão para a disputa, mas no grupo do "Pé de Pato" deve sair uma lista de 10 candidatos. É aguardar quando 2020 chegar.

Dissolvência 

Uma informação quentinha enviada por um pombo correio. Ele me confirmou que talvez no Diretório Municipal do PSL aqui na cidade de Imperatriz exista a possibilidade de não ficar nem as cadeiras, pois a tendência é que mude até de endereço a partir de 2019. Normal esta dissolvência de diretórios políticos. Mas "vão-se anéis, e ficam-se os dedos".

Não quer dinheiro

O vereador Ademar Freitas  Jr. (PSC) disse que não aceitará dinheiro em suas campanhas futuras do "Fundo Partidário". Freitas reiterou taxativamente que o mesmo não foi aprovado por ele, e que sempre será veemente contra este dispositivo de financiamento público das campanhas eleitorais em nosso país.

Acabou a eleição 

Os apaixonados pelo o presidente eleito Jair Messias Bolsonaro (PSL) terão que lembrar que existe em eleição datas e prazos para tudo, até mesmo para se tirar as propagandas dos seus próprios veículos particulares. A Justiça Eleitoral com certeza dá prazo para se colocar cartazes e para  retirá-las. A eleição já passou, agora é a hora de lavar os carros e tirar os cartazes.

Mensalinhos

O esquema de lavagem de dinheiro, loteamento de cargos públicos e mão de obra terceirizada na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) movimentou ao menos R$ 54 milhões, de acordo com Ricardo Saadi, superintendente da Polícia Federal. Até o momento, a PF cumpriu 20 de 22 mandados de prisão - dez dos quais contra deputados estaduais, cinco deles reeleitos este ano.

Instagram @correioma